Colunista | Raquel Wainstein

Giro Marília -Marmitas, regras e muitos ovos; veja refeições de atletas fitness

Quando o assunto é café da manhã de atleta, você pensa em tapioca com queijo branco? Pão integral com peito de peru? Iogurte com granola? Salada de frutas? Ledo engano! Estes alimentos são sucesso apenas na dieta das famosas "it-girls" das mídias sociais.

Minha realidade é muito menos colorida, mas não menos eficaz. No "bulking", fase de ganho de massa muscular, os dias começam com arroz, carne vermelha e brócolis, às 6h, e terminam à meia noite com claras de ovo e abacate.

Após a primeira refeição, faço uma hora de musculação e trinta minutos de exercício aeróbico, seguindo o protocolo que meu coach, residente em outro Estado, define ao analisar quinzenalmente minhas fotos de biquíni.

O acompanhamento de um profissional experiente, mesmo à distância, é determinante para a conquista de resultados, pois é ele quem avalia progressos e define estratégias adotadas antes e depois das competições.


Ir à academia logo cedo, com o corpo descansado, mantém o metabolismo acelerado contribuindo para a perda de peso e dá mais disposição para encarar outras tarefas. Em período de campeonato, caminho em ritmo moderado mais 30 minutos à noite e ensaio as poses da apresentação para os árbitros.

Como a categoria bikini fitness, na qual compito, exige aspecto longilíneo, com leve volume muscular e baixo percentual de gordura, pratico musculação seis vezes por semana priorizando glúteos, ombros e costas sem exagerar nas cargas. Reservo os domingos para a tarefa mais importante no processo de transformação física: o preparo das marmitas. Deixá-las prontas, pesadas e congeladas é indispensável para não ceder aos prazeres da gula e ingerir calorias desnecessárias quando a fome bater.

Comer de forma regrada e restrita a cada três horas e levar o corpo ao limite do esforço são hábitos comuns de todo fisiculturista. Por isso, nosso lema é "no pain, no gain" (sem dor não há resultados). Temos hora para comer, para treinar, para dormir... E diante da rotina rigorosa, não sobra espaço para a vida social. As raras saídas são munidas de bolsas abarrotadas de marmitas e de suplementos.

A alta ingestão proteica – 14 ovos, 150 gramas de carne vermelha, 150 gramas de frango, 150 gramas de peixe, 4 scoops de Whey, divididas em 7 refeições diárias, – pode ser tranquila para muitos, mas para mim, vegetariana por 16 anos, foi outro grande desafio no caminho até os palcos. Hoje, porém, compreendo que o sucesso no esporte passa por abdicar de gostos e vontades e manter a cabeça tão forte quanto os músculos.

Para começar:

Independente se o seu objetivo é virar atleta ou apenas entrar em forma, alguns itens são essenciais ao começar: siga à risca a dieta prescrita por um nutricionista especialmente para você, invista numa academia com horários flexíveis e na qual você se sinta bem, busque a orientação física de um profissional capacitado e, por fim, faça o que deve ser feito sem desculpas.

Boa sorte! 

Acompanhe as novidades e o dia-a-dia dos treinos pelo instagram e não deixe de mandar suas dúvidas e mensagens


Giro Marília -Raquel Wainstein
Raquel Wainstein
Jornalista, é atleta Bikini IFBB e Campeã Paulista 2017 da modalidade. Siga http://www.instagram.com/raquel_wainstein/

Matérias anteriores deste(a) colunista >