Giro Marília -Touro com fraturas em montaria de Adamantina reacende polêmica de rodeios

O Rodeo Festival, um dos maiores eventos de Adamantina (140km de Marília) ganhou visibilidade nacional depois de um acidente com um boi lesionado e sacrificado após atendimento veterinário. Imagens do animal foram reproduzidas em sites e redes sociais de todo o país com nova polêmica sobre os rodeios.

A organização diz que não havia como prever ou impedir a situação e divulgou que o evento estava totalmente dentro da lei e das normas federais e estaduais e que o animal recebeu atendimento rápido, sedação, e cuidados com transporte para um hospital veterinário com estrutura para atendimento.

Os cuidados não impediram que o caos provocasse muitos ataques e repercussão nacional. Portais, personalidades como a atriz Luísa Mel, ONGs e protetores de animais aproveitaram o caso para retomar pedidos de proibição dos rodeios.

O animal entrou na arena para provas da competição na quinta-feira. As imagens que circulam pelas redes sociais não mostram toda a montaria, mas tem cenas fortes do boi se arrastando no chão após fraturas nas patas traseiras.

Um vídeo gravado da plateia mostra muitas manifestações de preocupação com o animal. Segundo os organizadores, foi o único acidente do evento e o animal recebeu todo o atendimento possível.

A veterinária Najla Raquel Garib, que acompanhava a prova e prestou primeiros socorros são animal, disse que todos os equipamentos da montaria e condições do boi foram analisados antes da prova e que não houve qualquer agressão ou abuso que tenha levado ao acidente.

Segundo a veterinária, assim que houve o acidente ela foi pegar material de atendimento e aguardar a saída do animal da arena. A retirada do boi, em alguns momentos se arrastando e em outros foi puxado pela cauda e com ajuda de uma corda, provocou críticas em redes sociais.

Najla Garib disse que houve preocupação em atendimento rápido em espaço foram do tumulto da arena e que assim que chegou ao atendimento o boi foi sedado para interromper a dor.

O animal foi levado para um hospital veterinário de São José do Rio Preto, onde passou por novos exames, raio-x e foi submetido a uma eutanásia, modelo de abate sem sofrimento animal.

“Ele foi transportado em uma prancha de madeira, imobilizado, sedado. Foi colocado no veículo com guindaste, sem qualquer forma de sofrimento ou de falta de cuidados. Eu acompanhei a viagem toda. Em 23 anos de profissão nunca vi uma situação como essa. E a equipe do hospital ficou surpresa com todo o acompanhamento”, disse a veterinária.

REPERCUSSÃO



O caso rendeu repercussão nacional e novas mensagens em campanhas contra os rodeios. A atriz Luísa Mell, uma das mais conhecidas ativistas de causas animais no país, considerou a situação um ato cruel. "Rodeio é crueldade, é violência, é covardia e exploração!”

O Fórum de Defesa dos Animais de Curitiba tratou o caso como “inaceitável exploração animal”.

O Vista-se, um dos maiores portais de público vegano no país, disse que o caso não pode ser tratado como acidente. “Quando uma pessoa decide obrigar um animal a participar de uma competição como essa, assume o risco de que tragédias assim aconteçam”, divulgou.


Últimas Notícias