Giro Marília - ACC prevê queda de repasses e faz campanha por sócios doadores

A ACC (Associação de Combate ao Câncer) está nas ruas em busca de sócios doadores para criar uma rede permanente de apoio incentivada pela projeção de queda vertiginosa de arrecadação.

Com 25 anos de atuação – fundada em 1992 – a entidade apresentou na manhã desta sexta-feira o novo modelo de doações, balanço de receitas e despesas e a previsão de perdas com novo modelo de repasses da Nota Fiscal Paulista, que até 2017 foi uma das grandes fontes de renda.

O balanço aponta previsão de perda de R$ 186 mil em receitas neste ano, um número que só poderá ser consolidado em maio, com a avaliação de inscrições e repasses pelo novo modelo do programa Nota F9iscal, que exige cadastro e maior burocracia.

A nova campanha, batizada como “Juntos Somos Mais” pretende criar um grupo de empresas e pessoas físicas que se tornem doadores permanentes com valores a partir de R$ 20.

“Estamos em campanha pela Nota Fiscal também. Tentando cadastrar pessoas. NO ano passado entraram R$ 170 mil. A previsão deste ano, é de R$ 8 mil. Até maio não sabemos qual ver ser o resultado de nossa campanha para cadastros”, explicou Maria Antonia Antonelle, presidente da ACC para 2018 e 2019.

Ela lembrou que a ACC tem feito campanhas esporádicas, como a ação Complete Este Sorriso, para arrecadar latas de suplementos, em 2017. Além das ações nas ruas, a entidade promove trabalhos voluntários como produção de artesanato, utilidades domésticas, doces e salgados para a venda. Com a arrecadação, lançou um desafio para que os voluntários aumentem a arrecadação.


A apresentação levou para a ACC grupo de dirigentes e voluntários, todos com atuação na gestão e atendimento sem qualquer remuneração. Um diretor foi encarregado de fazer contatos com empresas, associações, sindicatos e entidades para potencializar a campanha.

A ACC oferece diferentes formas de atendimento que incluem assistência social, nutrição, psicologia fisioterapia, odontologia em convenio com a Unimar.

O processo inclui uma casa de apoio para pacientes de fora e acompanhante com abrigo e alimentação, além de doação de suplementos alimentares, medicamentos, próteses, perucas e fraldas, entre outros benefícios.

O risco de perda de recursos acompanha momento em que a cidade projeta nova unidade de radioterapia na Santa Casa e um centro de oncologia na Unimar, que caminham para ser polos regionais de atração de pacientes.

A voluntária Idalina Dantas, costureira, chegou à ACC como voluntária há dez anos. “Nunca imaginei que iria precisar da associação e um ano depois de iniciar apoio descobri um câncer, do qual fui curado. Quem conhece sabe a importância do atendimento da ACC”, disse.


Últimas Notícias