Colunista | NOSSA OPINIÃO - Rogério Martinez

Giro Marília -A frieza beira a maldade

Servidores aguardam atendimento na porta da prefeitura

A frieza na gestão pública leva a limites que beiram a maldade. Marília viu isso na semana passada.

Quem viu a polêmica sobre pagamento dos aposentados já sabe, para quem não sabe, um breve resumo:  sexta-feira começou com mensagens de servidores aposentados questionando falta dos depósitos, às 12h a prefeitura afirmou que pagaria com atraso, nesta segunda, às 14h começou um protesto do sindicato de servidores, às 15h uma reunião acalmou os trabalhadores e no final do dia o pagamento saiu.

A prefeitura só descobriu naquela manhã que não poderia pagar? Não tinha como contornar e deixar alguma grande corporação sem receber? E também não deu para conversar com os aposentados, montar uma escala de pagamentos que atendesse rendas menores, evitar sustos?

Não fez nada disso. E após o problema veio o segundo comunicado oficial:

“Pagamento dos aposentados e pensionistas do Ipremm foi realizado ao contrário do que havia sido divulgado por alguns veículos de comunicação, que noticiaram que houve um grande protesto, movimento e calote no pagamento”.

Não foram ‘veículos de comunicação’, foi a prefeitura quem informou que pagaria com atraso.

Quem estava no centro, quem esperou o pagamento para sair, pagar contas, fazer compras, ficou na mão.

O ato na porta do prédio durou menos que o tempo de canseira que os servidores tomaram encostados no balcão esperando para saber se seriam atendidos.

O presidente do sindicato chegou a tentar contatos pessoais antes de “dizer”, se não decidir nós vamos subir e esperar na porta do gabinete do prefeito.

Faltou cuidado com as pessoas por trás dos números e das dotações. Um dos grandes defeitos da gestão atual é a péssima relação com a coletividade.

Daniel Alonso e sua equipe ainda não acumulam grandes escândalos como a cidade acostumou – em diversos sentidos – a ver.

Não carregam uma epidemia com mortes, não carregam denúncias de desvios de dinheiro da merenda – embora tenham jogado fora 8.000 quilos de carne da merenda –.

Mas ainda assim acumulam desgaste surpreendente e em situações como o atraso do pagamento a aposentados parecem não ligar muito para isso.

Tão ruim quanto atrasar pagamento é o fato de fazer contra aposentados e mostrar uma frieza, tratar como banalidade.

Pagar os salários, uma obrigação básica, uma das primeiras, trata sobre tudo de gente. Os prefeitos todos foram péssimos? OK, um dos compromissos é mudar essa história. E na sexta-feira perderam mais uma chance de fazer a diferença.

Sem nenhum pedido de desculpas, nenhuma justificativa pela situação de insegurança que a administração provocou.

E isso é mau.


Giro Marília -NOSSA OPINIÃO - Rogério Martinez
NOSSA OPINIÃO - Rogério Martinez
Jornalista, editor e gestor de conteúdo no GIROMARÍLIA, foi repórter do jornal Folha de S.Paulo, editor-assistente do Diário de Marília e coordenador de redação na Vipcomm Comunicação

Matérias anteriores deste(a) colunista >