b

Nos últimos três anos a Apae inseriu no mercado de trabalho 38 profissionais. A entidade oferece estrutura  de 18 mil m² de terreno cercado, arborizado e estruturado com 9 mil m² de área construída e atendimento diário a pelo menos 385 pessoas.

T
oda a renda da Feira da Bondade ajuda a manter os serviços e garantir custos extras de final de ano, especialmente o pagamento de 13º salário. A Apae movimenta 147 funcionários para o atendimento a excepcionais de todas as idades. São profissionais cedidos pela Prefeitura, em convênio com entidades assistenciais e contratados pela própria instituição.  

LEIA TAMBÉM
Feira da Bondade supera chuva; muita disposição para este sábado
- Confira as atrações da segunda noite

O atendimento em saúde oferece centro de habilitação para crianças de 0 a seis anos e o centro de acompanhamento oferece serviços para diferentes faixas etárias. São mais de 2.800 atendimentos por mês.

O centro de educação oferece diferentes linhas de formação que vão do Ensino Fundamental, até 14 anos, o Programa Pedagógico Específico, para alunos entre 15 e 30 anos e o projeto de Educação para o Trabalho, também para os atendidos com idades entre 15 e 30 anos.

O Centro Sócio Ocupacional atende 140 pessoas em programas para prevenir ou minimizar grau de vulnerabilidade e risco pessoal e social, com ações que desenvolvem e estimula autonomia e participação no convício familiar. Beneficia adultos com mais de 30 anos.

“Participamos há 25 anos, é uma tradição, e tem que fazer mesmo. Beneficia a Apae, ajuda a pagar as contas, envolve todo mundo, faz parte da vida trabalhar por questões assim”, explicou Edivaldo Girotto, da Loja Maçônica 27 de Setembro, responsável pela barraca do cachorro quente.

Aproximadamente dez voluntários da loja foram trabalhar para servir os convidados e ajudar a entidade. Mas para eles, o envolvimento vai além da feira. “Temos diretores na Apae, integrantes da loja participam e atuam como presidentes, como voluntários. É um envolvimento diário, vai muito além da feira”, explicou Wilson Carlos Damaceno.

O governador assistente do Rotary, Antonio Caran, e o presidente do Rotary Club Marília 4 de Abril, João Carlos Affonso Ferreira, reforçaram o discurso de suporte. “O Rotary está aqui todo ano, é um entidade com um serviço diferenciado, com um atendimento que não acaba. Diferente de outras instituições, que também são importantíssimas para a cidade, a Apae é um projeto para atendimento de toda a vida, com diferentes acompanhamentos. Esse trabalho precisa receber todo suporte possível.”


Últimas Notícias