b
Giro Marília -Elite do vôlei atrai público regional para jogo equilibrado em Marília

Quase 3.000 pessoas de um público regional acompanharam na noite desta terça-feira alguns dos principais nomes da elite do vôlei feminino na cidade para a disputa da fase classificatória da Copa Brasil.

O time do Sesi Bauru trouxe o jogo para Marília e recebeu o Sesc Rio de Janeiro, do técnico Bernardinho. Torcedores de Marília, Bauru, Assis, Oriente, Vera Cruz e Pompéia, entre outras cidades, acompanharam uma partida equilibrada, que mostrou grandes ‘ralis’ e pontos muito disputados em meio a pontos fáceis por erros que não combinam com a qualidade dos dois times.

Bauru começou o jogo com dois pontos de bloqueio consecutivos com Andressa e Valentina e só não conseguiu um melhor começo por dois erros seguidos na defesa.

O Sesi mostrou durante todo o primeiro set porque chegou às quartas-de-finais e liderou a partida com a construção de uma vantagem que chegou aos 12 pontos e mostrou momentos sem reação do Rio de Janeiro.

A presença na rede foi ponto alto da equipe bauruense, que garantiu bons pontos no bloqueio e provocou um pedido de tempo do Sesc-RJ com o placar em 15 a 9. A conversa com o técnico Bernardinho não mudou a historia. Bauru saiu na frente com 25 a 13.


O segundo set mostrou Rio de Janeiro mais concentrado e a história da partida se inverteu. Após um início equilibrado a equipe carioca explorou erros de Bauru, fez bons pontos em ataque e bloqueios e chegou a dez pontos de vantagem.

Na rede ou no saque Juciely fez a diferença na partida e com um saque preciso colocou a partida em 24 a 14. Bauru respirou por dois pontos até Kosheleva fechar com uma pancada na ponta esquerda do ataque: 25 a 16 para Rio de Janeiro.

O terceiro set mostrou o equilíbrio que passaria a ser marca do jogo. Nenhum grande momento de vantagem, troca de erros e acertos e o técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho, mais solto nas reações aos bons e maus momentos do time.

Bauru conseguiu mostrar melhor aproveitamento das jogadas de ataques e fechou com 25 a 20, após conter fase de reação do Rio de Janeiro que levou o jogo para 20 a 18.

Mas equilíbrio virou mesmo a marca da noite e o quarto set mais uma vez inverteu a história. O time do Rio de Janeiro abriu vantagem e conseguiu administrar os pontos à frente durante todo o tempo, para fechar em 25 a 20.


O set decisivo mostrou Bauru com mais garra e determinação que permitiram pontos importantes especialmente com o bloqueio nas jogadas de rede. O set foi para o intervalo com o Sesi quatro pontos à frente, com 9 a 5. A volta teve o Rio de Janeiro ainda mais nervoso, com duas jogadas consecutivas de bolas literalmente jogadas fora na armação das jogadas. O jogo foi a 11 a 5. Mas ainda havia boas emoções.

Três ataques bem construídos levaram a partida a 11 a 8 e um pedido de tempo. No retorno, ataque do Sesi Bauru, a bola sai e o juiz aponta toque na defesa. Discussão rápida na quadra, seguida por três pontos do Rio: 12 a 11 e mais um tempo. O bloqueio do Rio funciona e o jogo vai a 12 a 12. Ataque rápido e o Sesi Bauru faz 13 a 12. Tifanny vai para a quadra mas é o bloqueio de Andressa que dá o 14º ponto. Erro de saque e o placar marca 14 a 13.

Rio saca, a bola sobra alta na ponta esquerda de Bauru, Tifanny bate e o jogo acaba: 15 a 13, são 3 sets a 2 para Bauru. 


Esta é a sexta edição da Copa Brasil. As duas primeiras edições, em 2007 e 2008, tiveram o Rexona-Ades (RJ) e Finasa/Osasco (SP) como campeões, respectivamente. O torneio voltou a ser disputado em 2014, e esta será a quinta edição consecutiva. Na última edição, vitória do Vôlei Nestlé (SP) sobre o Dentil/Praia Clube (MG).


Últimas Notícias