Giro Marília -SELJ/MAC goleia ‘rival caseiro’ na estreia da Copa Estadual de futsal feminino

A equipe de futsal feminino da parceria entre a Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude e o Marília Atlético Clube (MAC) estreou com goleada na Copa Estadual promovida pela Liga de Desenvolvimento Nacional de Futsal Feminino (LDNF).

Em partida realizada na noite deste sábado (24), as tigresas de Marília derrotaram a equipe da vizinha Vera Cruz por 4 a 1. Juju, Julinha e Tamara (dois) marcaram os gols mariliense. Francislaine fez o de honra.

Embora tenha estreado como visitante, o SELJ/MAC atuou ‘em casa’. A partida foi realizada no ginásio da Faip/Faef, na zona norte de Marília, em virtude da indisponibilidade da quadra coberta de Vera Cruz (SP).

As próprias adversárias também jogaram na cidade onde a maioria nasceu. A equipe foi formada há poucas semanas pelo técnico Marinho, que compôs a comissão técnica de Marília por vários anos.

O ‘rival caseiro’, aliás, segue sem somar nenhum ponto na Copa Estadual. A derrota deste sábado (24) foi a terceira consecutiva. “Este time é para o ano que vem. Estamos garimpando”, conformou-se Marinho.

O SELJ/MAC faz sua estreia em casa na próxima rodada, dia 7 de agosto, contra o Botucatu, às 19h30. A equipe vai mandar seus jogos no Centro Municipal Educacional, Esportivo e Cultural (CEMESC) “Neusa Galetti”, conhecido por ‘Ginásio da Santo Antonio’.

O JOGO

O SELJ/MAC dominou praticamente todo o jogo deste sábado (24). Apesar da pressão, no entanto, não conseguiu estufar as redes no primeiro tempo. Quase levou, na verdade, não fosse a defesa de Pira ao chute de tiro livre da goleira Natália.

Aliás, não fosse a defensora do Vera Cruz, o placar teria sido bem mais dilatado. De volta do intervalo, Marília acertou a trave com Gi e não demorou muito para construir a goleada e administrar o resultado nos minutos finais.

ANSIEDADE

O técnico do SEL/MAC, Lucas ‘Cafu’, apontou a ansiedade de estreia como um fator complicador para a equipe neste sábado (24). “Voltamos com a cabeça no lugar no segundo tempo e deixamos o jogo para tranquilo pra gente”.

Até a arbitragem admitiu ter ficado ansiosa para o confronto. “Apito há 34 anos e fazia tempo que não sentia um frio na barriga”, afirmou o árbitro mariliense Tuffi Bardaouil. “A gente já estava enferrujando com essa pandemia”.


Últimas Notícias