Giro Marília -Advogado de casos famosos é morto em SP; atuou em caso de roubo em Marília

O advogado criminalista Francisco Assis Henrique Neto Rocha, 57 anos, foi morto na noite desta quarta-feira em São Paulo em uma emboscada em um posto de gasolina.

Defensor de acusados em casos famosos de repercussão nacional, Assis atuou também em Marília em 2003 na defesa de Claudinei Alves dos Santos, acusado de um assalto ao malote do banco Real.

Ney Santos, como o acusado era conhecido, foi condenado em Marília e absolvido no Tribunal de Justiça em São Paulo. Tornou-se político, deputado e prefeito de Embu das Artes.

Francisco Assis atenderia Ney Santos em outro caso famoso, já com repercussão nacional, na apreensão de uma Ferrari quando o político disputava uma vaga de deputado federal.

Mas o caso de maior repercussão foi a morte da menina Graziely, 3 anos, atingida por uma motoaquática na praia de Bertioga. Francisco Assis defendeu o empresário José Augusto Cardoso Filho, dono da moto.

O advogado foi morto com vários disparos feitos por quatro homens em um carro prata. Não há indicação do motivo para o crime ou de eventuais mandantes.

O criminalista Ovídio Nunes Filho, de Marília, atuou com Francisco Assis no caso do Banco Real e em outros processos menores. Disse que o advogado se tornou um grande amigo e era um profissional  muito competente.

“Era muito bem relacionado, bem sucedido, um ótimo criminalista. Atuou em vários casos grandes no país”, disse Ovídio Nunes.


Últimas Notícias