Giro Marília -Dívida acumulada no comércio atinge índice histórico em Marília

Levantamento mensal do Serviço Central de Proteção ao Crédito da Acim mostra que o comércio de Marília atingiu valor de R$ 17.587.995,11 em dívida acumulada nos últimos cinco anos, número 2,72% maior que o registrado no mês passado e o maior valor no índice histórico de acompanhamento.

“Uma preocupação muito grande, pois, nos quatro meses deste ano os valores só cresceram de um mês para o outro”, disse o primeiro tesoureiro da Acim, Gilberto Joaquim Zochio.

O maior valor registrado até abril era o de outubro de 2018, quando as dívidas acumuladas chegara, a R$ 17.131.474,51.

“É muito dinheiro parado que deixa de circular entre as lojas por diversas formas. Esse dinheiro poderia ser usado para investir na loja, no pessoal, nas mercadorias ou em qualquer outro setor que beneficiaria sempre o consumidor”, disse o empresário.

A cidade tem 22.971 devedores cadastrados, com média de R$ 766,00 por consumidor. São 40.230 dívidas cadastradas nestes nomes, o que mostra casos de registros repetidos. Cada compra representa gasto médio de R$ 437.

Na opinião do presidente da associação comercial de Marília, Adriano Luiz Martins, é preciso que o comerciante crie uma forma de atrair o devedor, propondo acordos flexíveis para a dívida não ficar maior.

“Quando alguém compra algo e não paga, o comerciante já pagou pelo produto, já pagou os impostos, as taxas relacionadas e as comissões combinadas. E no final ficou sem o dinheiro, sem o produto e pagou por isso”, reforçou Adriano Luiz Martins. 


Últimas Notícias