b
Giro Marília -Presídios flagram drogas em bifes, roupas e contas de crimes

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que, no último final de semana (dias 23 e 24), agentes de segurança flagraram visitantes tentando entrar com drogas (maconha e cocaína) nos presídios abrangidos pela Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Noroeste (CRN).

Em um dos casos, a mulher usou “bifes a rolê” como forma de camuflar o entorpecente durante visita em Serra Azul.  Nos pedaços de carne, costurados com linha preta, ela escondeu 11 porções de maconha.

A mesma visitante também tentou entrar na unidade com anotações do tráfico e cocaína alojada em um par de tênis infantil.

Agentes de segurança da Penitenciária de Marília aprenderam porções de maconha com uma mulher, durante procedimento de revista pelo escâner corporal, no domingo (24), por volta das 11h.

Ela escondia as drogas no cós da calça e no sutiã. Questionada, a visitante disse que receberia R$ 500,00 pelo transporte do entorpecente, sem, contudo, dizer para quem entregaria a maconha.  Encaminhada para o Plantão Policial, a visitante foi presa em flagrante.

Em todos os flagrantes, a Polícia Militar (PM) foi acionada para registrar boletim de ocorrência e tomar medidas cabíveis. Também foi aberto procedimento interno para apurar o envolvimento dos presos que receberiam os materiais ilícitos no âmbito das unidades prisionais.

Agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru impediram a entrada de um aparelho celular na unidade. O telefone móvel, que continha um chip e cartão de memória, estava na sacola de pertences da visitante.

O telefone móvel foi apreendido pela Polícia Civil e a visitante, liberada após assinar termo de compromisso com a Justiça.

Uma mulher escondeu um cigarro de maconha em meio ao maço de cigarros comum, que levava em sua bolsa, para visita no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César.

Uma visitante do Centro de Detenção Provisória de Ribeirão Preto levou drogas no cós da calça. Questionada, ela alegou ser usuária e justificou a irregularidade dizendo que não conseguiria ficar sem fumar maconha durante todo o período de visita.

Em todos os casos registrados no final de semana, as unidades também instauraram Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam as drogas ou materiais apreendidos.

A SAP informa que pessoas flagradas tentando entrar com objetos ilícitos em presídios são automaticamente suspensas do rol de visitas.


Últimas Notícias