Giro Marília -Paralímpicos distribuem autógrafos nesta sexta (07)

Ser atleta é se superar a cada momento. Para os atletas olímpicos, conquistar uma medalha é a realização de um sonho, que em alguns casos é decidido por uma fração de segundos. Mas, para chegar até o pódio, é necessário muito treino, disciplina e, com milhares de histórias de superação, os paratletas mostram que suas limitações, sejam elas físicas ou intelectuais, não os impedem de alcançar metas e sonhos almejados.

Na edição das Paraolimpíadas de 2016, realizada no Rio de Janeiro, os paratletas brasileiros mostraram todo seu potencial que renderam ao país a oitava colocação com 72 medalhas conquistadas. Entre essas conquistas, vale destacar a excelente participação dos atletas assistidos pela Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (AMEI), Daniel Tavares Martins, que levou o ouro no atletismo e Alana Martins Maldonado, que conquistou a medalha de prata no judô.

Agora, para que esse momento especial seja compartilhado com a população mariliense, o Marília Shopping recebe os paratletas medalhistas, para uma noite de autógrafos e troca de experiências. O encontro acontece em 7 de outubro (sexta-feira), das 19h às 21h.

Matheus Lara, coordenador de marketing do Marília Shopping, destaca o exemplo de superação desses atletas “Daniel e Alana são ídolos de nossa região, não apenas pelas medalhas, mas pelo exemplo de vida e superação não somente no esporte, mas em suas vidas. Para nós é uma grande honra recebê-los para essa troca de experiências”, diz.

Os atletas
Daniel Tavares Martins, é atleta da equipe de paratletismo da AMEI desde 2013, quando foi constatada sua deficiência intelectual. Vindo de uma família humilde, ele contribuía com as despesas de casa pegando latinhas e vendendo balas no terminal urbano da cidade.

Se na escola, o jovem tinha muita dificuldade, no atletismo era diferente e ele logo passou a ser encarado como uma grande promessa no cenário paralímpico nacional.

Daniel foi campeão brasileiro, batendo os recordes nacionais das provas do 100, 200 e 400 metros rasos, classe T20; venceu a prova dos 400 metros rasos no mundial de atletismo realizado em Doha- Catar que o tornaram o primeiro deficiente intelectual do país a conquistar uma medalha de ouro em um mundial de atletismo. Foi eleito pelo Comitê Paralímpico Brasileiro como a "Revelação Paralímpica de 2015" e, para marcar essa trajetória de sucesso, Daniel entrou mais uma vez para a história do Brasil ao se tornar o primeiro deficiente intelectual do país a conquistar uma medalha de ouro em Paralimpíadas. Esse feito foi na prova dos 400 metros rasos, classe T20, batendo o recorde mundial da prova, que pertencia a ele mesmo.

Alana Martins Maldonado, natural de Tupã no interior de São Paulo, começou a treinar Judô, quando tinha 4 anos. Aos 14 descobriu-se que ela possuía uma doença chamada ‘Doença de Stargardt’, que causa a degeneração macular juvenil, que acabou fazendo com que ela perdesse 80% de sua visão.

Em 2014, através da AMEI, Alana soube da existência do judô paralímpico, voltado exclusivamente a deficientes visuais. Essa notícia veio como uma injeção de ânimo em sua vida e ela voltou a treinar a modalidade. No final desse mesmo ano, a atleta já se tornaria campeã brasileira na categoria até 70 kg.

Em 2015, após vencer a primeira etapa do campeonato brasileiro, foi convocada pela Seleção Brasileira Paralímpica de Judô, para disputar o mundial da Coréia do Sul. Em sua estreia em mundiais, a judoca conquistou a medalha de bronze.

Em sua carreira conquistou diversos títulos como a medalha de prata no Parapan de Toronto; medalha de ouro nos abertos de judô do Rio de Janeiro, Londres e Alemanha, todas na categoria até 70 kg e em setembro desse ano, Alana conquistou a medalha de prata nas Paralimpíadas 2016.

Sobre a AMEI
A Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (AMEI) vem trabalhando com o esporte paralímpico desde 2003, visando oferecer oportunidades de inclusão social por meio de um programa de treinamento esportivo para crianças, jovens e adultos em ambos os naipes, de qualquer idade e deficiência (Física, Auditiva, Visual, Intelectual ou Múltiplo). A associação está localizada na Avenida Archimedes Manhães, 1113 – Fragata. Mais informações pelo telefone (14) 3432-3083


Últimas Notícias