Colunista | GIRO GAMER - Gabriel dos Reis

Giro Marília -Fanboys e os caça-níqueis

Hae rapaziada como estão? Essa semana mais um tema polêmico (putz, que cara chato, mano), prometo que um dia eu paro.

Esses dias me bateu uma nostalgia e comecei a ouvir músicas de animes antigos como Yu-yu hakusho, Samurai X e até o Full Metal Alchemist que nem é tão antigo assim, e me deu vontade de comprar todos os dvd's do mundo, com todas as temporadas pra por na minha estante e nunca mais assistir na vida... sim eu adoraria isso, exceto pela última parte. Mas é inevitável que isso aconteça, sinto muito galera mas as pessoas crescem, não que animes sejam coisa de criança, longe disso, mas adultos tem outras prioridades (tipo trocar fraldas, ir ao supermercado e dar banho no cachorro).

E como continuar fã de animes? Como relembrar e honrar aqueles desenhos que te fizeram tão feliz lhe proporcionando uma fuga da Tv Cruj, Malhação e qualquer outra porcaria que passava na TV aberta nos anos 90?!

– Vamos fazer videogames!

– Sim, que pulta ideia bacana manolo!

– Sim, caprichamos no visual, nas músicas e até vamos chamar aqueles caras das antigas para fazer as vozes.

– Beleza, mas vamos fazer uma bosta de gameplay e várias sequencias para ninguém nunca mais parar de comprar e ficarmos ricos!

– FUCK YEAH!!!

Caras, esse mercado é assim: eu crio um jogo legal, com um personagem badass e se ele bombar eu continuo criando cada vez mais conteúdo e sequencias desse mesmo jogo.

Porém em alguns casos esses jogos já se “estabeleceram” no mercado, já possuem sua própria legião de fãs e isso quer dizer que se eu criar qualquer porcaria usando aquele personagem famoso, por mais ruim que o game seja a galera vai continuar comprando.

É o caso do Resident Evil, do Sonic e outras franquias que caíram do cavalo agindo da mesma forma, achando que estavam “safos” e conseguiram destruir a imagem que criaram.

Já com os fãs de anime é mais fácil ainda, o público já está estabelecido, a legião já está ansiando por algo que as faça expressar o desejo de estar dentro daquele universo, é tirar dinheiro de criança literalmente.

A questão é bem simples, não consigo citar um bom jogo... fã-boys que me desculpem. Temos 3506448165 jogos do Dragon Ball, 87516875216 jogos do Naruto e infinitos Pokemons. Se ainda assim os jogos fossem bons...

ah qual é?! Eu sou gamer também, pode até ser hipócrita da minha parte mas eu tenho minhas franquias preferidas, eu compraria um videogame novo apenas para jogar títulos exclusivos que me interesse se coubesse no meu bolso, claro.

Mas a molecada até gosta desses games por mais que as inovações sejam mínimas, na época dourada do ps2 saíram muitos jogos de animes, Inuyasha, Cowboy Bebop, Samurai Champloo e... nada que realmente valha a pena jogar. A diferença era que além do jogo ser ruim os gráficos também eram uma droga.














Tudo bem, posso estar generalizando, mas convenhamos, que jogo baseado em anime/mangá que seja realmente memorável, que estejam no seu próprio livro de “Games para jogar antes de morrer”?

Eu tenho em mente alguns que são “legaizinhos” mas gente... compensa pagar quase R$ 200 dilmas por um jogo “legalzinho”?

E vocês pensam que isso é novidade? Isso existe faz décadas, hoje só há mais formas de atrair esse nicho, seja com estilos diferentes de gameplay até as próprias inovações gráficas.

E sempre foram ruins mesmo lá atrás, eu nunca fui muito bom em jogos de luta, mas yu-yu hakusho do Mega Drive é impossível, assim como a versão de ps2...

E não vamos esquecer dos Cavaleiros dos Zodíaco, que a cada lançamento uma expectativa que eles tenham feito algo digno, tanto do seu dinheiro quanto do desenho nos trazido pela falecida TV Manchete.

E o que dizer... bom, desde o ps2... continuamos esperando. Três gerações de consoles e uma versão de psp e nada que preste.

“Ah que legal que serão os dubladores originais do desenho e... Nossa! Uma saga nova?” Não faz mais que a obrigação, mané!

E falando no psp, o portátil da Sony que já virou história também tem seu próprio acervo de jogos ruins de animes como Digimon, Dragon Ball (Outro?!) e Full Metal Alchemist.




 


       - Mas Toshikito, o que vamos fazer se a galera cansar desses jogos toscos?

       - Relaxa Wasabi San, quando isso acontecer a gente junta todo mundo no mesmo jogo e coloca pra se matar em um encontro extra-dimensional que não faz sentido algum.

Também é clichê, puxando pela memória... Marvel Vs Capcom, Capcom vs SNK, Street Fighter vs Marvel, Street Fighter vs Tekken, Mortal Kombat vs D.C. e por aí vai.

No caso dos animes o mais recente talvez seja o J-Stars Victory Vs mas antes dele foi lançado no ps2 o Battle Stadium Don que era uma copiazinha do Smash Bros que todo mundo copiou até as Tartarugas Ninjas.



E olha, J-Stars teve criticas bem ruinzinhas, genérico, campanha fraca e cheia daqueles textos que já são de praxe em jogos japoneses. A IGN avaliou em 5/10 e mesmo assim eu quero muito comprar...  malditos sejam.

Bom gente vou ficar por aqui, mas se você também se revolta com isso e mesmo assim precisa ter esse monte de porcarias, deixe aqui o seu salve e mande o pessoal da Bandai ir pra aquele lugar!


Giro Marília -GIRO GAMER - Gabriel dos Reis
GIRO GAMER - Gabriel dos Reis
Gabriel dos Reis é designer gráfico e seu hobby é lutar contra o mal do sofá de sua casa.

Matérias anteriores deste(a) colunista >