Colunista | Viviane Gonçalves

Giro Marília -Humanos possíveis.

Lá vai eu com  o dedinho nervoso passando o indicador para a esquerda olhando os stories dos meus amigos de instagram.

Sempre vejo a exaltação, por parte das moças de 20 a 27 anos, diante de um corpo curvilíneo,  magro.  E a constatação: perfeita!

Não estamos nesse mundo para ficar avaliando se um corpo feminino nos agrada ou não, o corpo, sobretudo o feminino, não foi pensado para agradar olhos de ninguém, nem os femininos e, muito menos, os masculinos.

No entanto, o que essas meninas vêem tanto nessas figuras de seios fartos, cinturas infantilizadas e quadris trabalhados na última modalidade de cirurgia estética, que eu, nos meus quase 38 anos não vejo?

É a geração da mentira, não que a nossa não seja, nos contaram e nos contamos inúmeras mentiras.

Mas essa é a geração dos filtros de Instagram, das mentiras  que são, visualmente, fáceis de notar.

Confesso que tenho problemas com a perfeição, adoro os imperfeitos.

O nariz adunco da atriz Alba Flores, o corpo curvilíneo e pujante da Lettícia Munniz, esbanjando sensualidade.

Mas tenho uma queda pelos imperfeitos da atualidade, sabe?

Que são pessoas bacanas, que estão num esforço tremendo para melhorar e, de repente, vacilam?

Não, não me refiro ao erro consciente,falo da humanidade mesmo que há em nós e que nos permite vez ou outra escorregar e lembrar que somos apenas isso mesmo, humanos.

Diante dos cancelamentos que viemos sofrendo nos últimos tempos, discorda de mim, será cancelado.

Está com dificuldade em um conceito? Será cancelado.

E assim entramos numa onda dos falsos perfeitos. Você pode acreditar, nem a Kylier Jenner é fisicamente perfeita, se é que é possível usar tal parâmetro, nem a Débora Diniz com toda sua intelectualidade e referências será.

Bora lá, existem diferenças nesse mundo de meu deus, as pessoas pensarão diferente, errarão, serão incoerentes.

Nem tudo que você sabe, ou julga saber, é de conhecimento de outras pessoas.

E humanos tem como prerrogativa o erro. Olha nossa história, minha gente, falhamos mais do que acertamos.

Não sei onde você tem procurado perfeição, é uma busca desprovida de sentido, não tem onde encontrar.

Nenhum corpo é perfeito, nenhuma pessoa ou personalidade, por mais que nos agrade. Aceite a convivência com pessoas possíveis, reais.

São elas que existem.

Gosto de quem tá fora da curva, da voz dissonante do Belchior e Chico, dos textos da Carolina de Jesus, do Sabotage, Javier Bardem.

Prefiro, muitas vezes, os que dizem mió e vão fazendo telhados como escreveu Oswald de Andrade. 

Não gosto mesmo é de gente que se olha no espelho e quebra para não ver sua imagem refletida, que se  considera tão perfeito que prefere não enxergar o que de fato é: chato, arrogante, e uma criança mimada ficando " de mal".

Ainda bem que sempre existem pessoas que insistem nos chatos, arrogantes e nos adultos infantilizados.

Ainda bem que sempre existem pessoas que insistem...


Giro Marília -Viviane Gonçalves
Viviane Gonçalves
Cientista social formada pela Unesp- Marília, uma curiosa nos estudos que se referem às mulheres, adora literatura, poesias e filmes. Acredita que Adélia Prado tinha razão, mulher é mesmo desdobrável.

Matérias anteriores deste(a) colunista >