Um vídeo clipe com a dupla Simone & Simaria é a nova ferramenta das campanhas oficiais no combate aos casos de violência contra a mulher com incentivo para que as vítimas denunciem e recebam apoio. A música, batizada como Amor que Dói, diz que uma agressão a qualquer mulher atinge todas.

Vc tem voz é o lema da campanha, que foi lançada com suporte de números sobre a violência e os diferentes tipos de agressões, que vão muito além dos casos físicos. As denúncias podem ser feitas pelo telefone 180.

Segundo a campanha nacional 536 mulheres são vítimas de agressão física por hora no país, 65% sofreram algum tipo de assédio no último ano e 70% das agressões ocorrem dentro de casa, na maioria das vezes – 65% - cometidas por parceiros ou ex-parceiros.

Entenda as formas de violência contra a mulher

Patrimonial
Qualquer ato que envolva retenção, subtração ou destruição parcial ou total de trabalho, documentos pessoais, valores ou recursos financeiros pode ser caracterizado como violência patrimonial. Você não está sozinha, use sua voz, denuncie.

Sexual
Forçar um contato íntimo ou relação sexual com a mulher. Essa pode ser a forma mais cruel de violência contra a mulher. Algo tão íntimo pode fazer a mulher que sofre essa violência sentir vergonha, medo e profunda dificuldade para falar. Você não está sozinha, use sua voz, denuncie.

Psicológica
Xingar e humilhar. Ameaçar, intimidar e amedrontar. Criticar continuamente, desvalorizar os atos e desconsiderar a opinião ou decisão da mulher. Debochar publicamente, diminuir a autoestima. Tirar a liberdade de ação, crença e decisão. Tentar fazer a mulher ficar confusa ou achar que está ficando louca.

Física
Qualquer conduta que afete a integridade ou a saúde do corpo da mulher. É praticada com o uso de força física do agressor, machuca a vítima de várias maneiras e deixa marcas que vão além do visual. Você não está sozinha, use sua voz, denuncie.

Moral
Envolve calúnia, difamação, injúria ou quando o agressor ofende a dignidade da mulher. Esse tipo de violência também pode acontecer na internet. Você não está sozinha, use sua voz, denuncie.

Assista abaixo ao vídeo oficial