source
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde
Foto: Divulgação/Ministério da Saúde
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje (14) que o atraso na entrega do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) ao Instituto Butantan para produção da CoronaVac é por "questão contratual". O Butantan paralisou nesta sexta-feira a produção da vacina contra a Covid-19 por  falta dos insumos.

Em evento de imunização de atletas olímpicos, Queiroga afirmou que não há nenhum problema diplomático do Brasil com a China. "Temos relações muito boas com todos os países, inclusive com a China, que é um parceiro comercial importante do Brasil. Já me reuni duas ou três vezes com o embaixador e não há nenhum problema diplomático do Brasil com a China", disse Queiroga.

"A questão do Butantan com a China é contratual e espero que o suprimento ocorra normalmente para que produção se regularize e para que tenhamos a CoronaVac como acontece desde o começo do ano", acrescentou o ministro.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, negou que não há problemas no contrato com a China e reduziu a expectativa de entrega de vacinas para este mês de 12 milhões para "pouco mais de 5 milhões".

Por meio de nota, o instituto apontou as declarações recentes de autoridades do governo federal contrárias à China como possíveis responsáveis pela demora na liberação de autorização de exportação do IFA por Pequim.

"O Instituto Butantan esclarece que não há qualquer entrave relativo à disponibilização de IFA ao Butantan por parte da biofarmacêutica Sinovac", disse em nota.

"Há mais cerca de 10 mil litros (de IFA) --correspondentes a aproximadamente 18 milhões de doses-- à disposição, aguardando autorização de embarque por parte do governo chinês. Questões referentes à relação diplomática Brasil x China, incluindo recentes declarações de autoridades federais brasileiras, podem, sim, estar interferindo diretamente no cronograma de liberação de novos lotes de insumos."

Fonte: IG SAÚDE