Uma oferta de vagas para cuidadoras virou caso de polícia em Belo Horizonte depois de uma cuidadora de 41 anos denunciar proposta de contratação com veto para “negras e gordas”.

A oferta das vagas circulou em grupo de cuidadores em redes sociais no início do mês. “Únicas exigências: Não podem ser negras, gordas e precisam de pelo menos 3 meses de experiência”, dizia o texto.


A cuidadora Eliangela Carlos Lopes levou o caso para a polícia mas disse que foi orientada a adotar outros procedimentos que vão tomar tempo e algum dinheiro, como um registro em cartório que vai custar R$ 250.

As vagas foram divulgadas pelo empresa Home Angels BH Centro-Sul e foi encaminhada para uma empresa, a Leveza do Afeto, que apesar das exigências absurdas repassou ao grupo de profissionais.

A Home Angels divulgou mensagem que em “repudia veementemente o que ocorreu “, diz que a empresa atua com franquias sobre as quais não tem influência direta de gestão e que repeito é um dos valores da empresa.

"Eu não preencheria a vaga por causa do meu tom de pele. Eu fiquei estarrecida, em estado de choque. Sou negra, de cabelo ruim, moradora de Ribeirão das Neves e estou com 41 anos. Que chance eu teria?”, disse a cuidadora em entrevista ao grupo Globo.