Uma ordem de busca de apreensão expedida pela 14ª Vara Federal em Natal aponta o navio mercante Bouboulina, de bandeira grega, como responsável pelo petróleo vazado no oceano Atlântico e que poluiu diversas praias do nordeste brasileiro.

O navio pertence à empresa Delta Tankers LTD e a partir de uma solicitação da Polícia Federal a Justiça determinou uma ação de busca e apreensão na empresa Lachmann Agência Marítima, agente marítimo da Delta Tankers no Brasil.

A PF cumpre nesta sexta-feira dois mandados de buscas em sedes de representantes da empresa. Segundo a Polícia, o Bouboulina ficou detido nos Estados Unidos por quatro dias devido a "incorreções de procedimentos operacionais no sistema de separação de água e óleo descarga no mar"

A investigação aponta que o navio atracou na Venezuela em 15 de julho e o derramamento de óleo teria ocorrido a 700 quilômetros da costa brasileira entre os dias 28 e 29 de julho.

O navio-tanque tem 276m de comprimento e pode carregar até 164 mil toneladas. Sites de rotas navais indicam que o navio fez ua última atracagem na África do Sul e segue no sentido do Cabo da Boa Esperança.