Giro Marília -Advogada move ação contra Vivo, exagera em palavrões e desiste

Vítima do que chama de "péssimo atendimento por parte da empresa de telefonia", uma advogada do Paraná decidiu ir à Justiça contra a Vivo em causa própria em uma ação em que esparrama palavrões e ataques como “não vou pagar p...nenhuma”. E se ataque de fúria não costuma resolver no atendimento 0800, também não funcionou na Justiça.

O juiz Rodrigo Domingos Peluso Junior, de Curitiba, disse que a advogada faltou "com o princípio processual de urbanidade e respeito com a parte adversa e com o Judiciário, utilizando-se de vernáculo inapropriado para um processo judicial".

Peluso determinou o envio de cópias do processo ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná (OAB/PR) e pediu "providências que entender cabível".

"Fui vítima, assim como milhares de consumidores, de péssimo atendimento por parte de empresa de telefonia; assim, como bem demonstram as já milhares de matérias jornalísticas sobre o tema, as empresas de telefonia de nosso país não sabem prestar um serviço apropriado", diz a advogada.

Vanessa já desistiu da ação. Em entrevista, ela afirmou que a revisão no escritório focou mais em questões de redação que no estilo.  “Uma vez verificado o erro, de imediato foi solicitado o arquivamento do mesmo, impedindo assim qualquer citação e incômodo."



Últimas Notícias