Giro Marília -Final da Várzea terá clássico, grandes nomes e ação social em Marília neste sábado

Um clássico do futebol amador com muitos nomes de grandes times profissionais, troféus com design do Campeonato Brasileiro, toda a rivalidade da várzea com famílias na torcida e arrecadação de alimentos.

É esse o clima para a final da Copa Master de futebol amador de Marília, que neste sábado terá Portuguesa do Morro, o time mais tradicional da cidade, contra Salvador Salgueiro, uma força a ser batida.

A partir acontece a partir de 16h no Estádio Nelson Cabrini, o Mineirão, na zona norte da cidade, com organização da Liga dos 20. A entrada é gratuita mas a entidade pede que os torcedores levem um quilo de alimento não perecível ou um litro de leite longa vida.

A Portuguesinha leva para campo uma história de 66 anos de atividade, muitos nomes famosos e desafios na várzea. O Salgueiro leva força de uma equipe bem estrutura e que tem sido destaque nos últimos anos. Uma final à altura da competição.

A categoria Master é uma das quatro gerenciadas pela Liga, que envolve 48 times de Marília, Júlio Mesquita, Tupã, Vera Cruz e Ocauçu. Os troféus foram feitos por encomanda para seguir padrão de design do campeonato brasileiro. Chegaram na quinta-feira.

E tem mais padrão nacional na Liga: jogadores que brilharam em grandes times entram em campo em diversas equipes e categorias durante a temporada. A primeira divisão tem nomes como Osmar Cambalhota, que jogou no Palmeiras; Bruno Ribeiro; Carlinhos (ex-Noroeste).

A final da Master terá também destaques importantes. Gilson, ex-goleiro do MAC, que joga pela Portuguesa, e Leandro,m ex-atleta do Santos que defende o Salgueiro, além de Gustavo Casar, o Canhoto, ex-Vasco, um destaque da competição no meio de campo.

Gilson, Leandro e Gustavo, nomes com carreira em grandes clubes brilham na Master

“A organização é da associação formada entre os times. Define punições, regulamento, organização, ações sociais. Tivemos três times eliminados por questão de violência. Sem tolerância para caso de brigas. E oito times da região aguardando inscrição”, conta Ezequiel Pereira, presidente da Liga.

O rigor vira ação social. As penalidades para cartões amarelos e vermelhos, além de situações mais graves de brigas ou indisciplina, incluem doação de leite, alimentos e fraldas.  Desde o ano passado foram arrecadadas 50 cestas básicas, 43 pacotes de fraldas e 40 caixas de leite.

Equipes de Parnaso, Guaimbê, Alvinlândia e Garça aguardam vaga na Liga. Os times ajudam na manutenção de poliesportivos e a competição já permitiu a retomada de alguns campos que estavam sem uso, como em Padre Nóbrega. 

"Há dois anos organizamos sem recursos da prefeitura. É tudo pela organização das equipes, pela participação, pela disciplina que trouxe famílias, crianças de volta aos jogos. É um trabalho de todos, que está dando muito certo."