Giro Marília -Tigre não canta de galo e fica no empate contra XV de Jaú no Paulista Sub-20

Embalado após quatro vitórias no Campeonato Paulista Sub-20, o Marília precisaria apenas de mais uma para fechar o turno perfeito, nesta quinta (2), contra o XV de Jaú. Mas, faltou ao Tigre cantar de galo diante do rival.

O inusitado duelo animal – mais comum nos campos de futebol do que nos selvagens – ficou no empate. Guilherme Vieira chegou ao quinto gol no estadual, de pênalti e Alemão descontou, ainda na etapa inicial.

Apesar do resultado, o Tigre segue na crista do grupo 2, ainda isolado na liderança, agora com 13 pontos. Na próxima quinta (9), o Marília volta ao seu próprio território para abrir o returno contra o Taquaritinga, às 15 horas.

O JOGO

No confronto entre galináceos e felinos, a natureza da bola quase surpreendeu, ainda aos seis minutos. A zaga maqueana vacilou, o centroavante Igor ficou cara a cara com Henrique, mas só ciscou na conclusão. Deu pena.

Em vez do Tigre, quem cercava era o frango. Mas, astuto, o felino ficava na tocaia. Aos 17, Guilherme Vieira achou uma brecha na área para cabecear ao gol. Otávio, atento, segurou fácil, sem rebote.

Aos 32, Leanilto deu o bote: lançou Vitor Hugo, que invadiu a grande área do XV. Otávio saiu catando milho e fez o pênalti. Guilherme Vieira deu uma patada no canto esquerdo rasteiro e balançou o galinheiro: 1 a 0.

É, mas o galo cacarejou rápido. Aos 39, Alemão aproveitou uma sobra na área após cobrança de escanteio e surpreendeu a toca alheia: 1 a 1. Aos 47, quase o revide: Guilherme Viera espremeu-se pela esquerda, bateu cruzado e um galinho tirou na espora.

O ritmo da fauna seguiu intenso na relva mariliense, apesar do calor, na etapa final. Era uma bicada pra cá e uma arranhada pra lá. O galo abriu as asinhas de novo: apostou na marcação alta pra ver os felinos pedirem água.

A estratégia aviária só resistiu enquanto pôde. Ao Tigre restou restabelecer a ordem natural das coisas pela musculatura de seu ataque, o mais eficiente do grupo. Mas o galo assustava. Aos 29, Caíque arriscou e Henrique, como um gato, espalmou.

Aos 36, o maqueano Anderson Tico arriscou de longe. Otávio agarrou. O Galinho piou no minuto seguinte: Bruno apareceu livre no meio da zaga maqueana, mas conseguiu cabecear para fora. Teria batido na crista?

Aos 44, foi a vez do Tigre piar: o goleiro Otávio quis cantar de galo na área, deixou a bola escapar e Leandro Vinícius estufou a rede. A arbitragem viu falta na jogada e anulou o gol que daria a vitória ao Marilia.


Últimas Notícias