Giro Marília -Cadê o asfalto, Daniel? – Lama impede ação de escola no Projeto Semear

Um ônibus escolar com estudantes de um colégio particular de Marília que deveria levar brinquedos para crianças em situação de vulnerabilidade atendidas pelo projeto Semear não conseguiu chegar à entidade por causa das péssimas condições da rua.

Instalado na zona leste da cidade, o projeto espera há dois anos uma promessa do prefeito Daniel Alonso para pavimentação da rua. Há alguns dias voluntários da entidade divulgaram mensagem cobrando a promessa, mas não as postagens parecem não ter sensibilizado a administração.

Os alunos da escola particular promoveram campanha de arrecadação e pretendiam fazer a entrega nesta segunda. Crianças do projeto foram esperar.

Mas a chuva forte transformou a rua em barreiro cheio de buracos por onde o ônibus não podia passar.

“Por causa da distância a ser percorrida na chuva, as crianças do colégio visitante foram embora frustradas”, diz uma mensagem divulgada pelo juiz do trabalho Breno Tavares Costa, um dos voluntários da ONG.

Outras atividades da organização também foram canceladas para evitar riscos no acesso da comunidade. O cancelamento tem sido fato comum em dias de chuva forte por causa das más condições na rua.

“O triste é saber que a prefeitura prometeu asfalto há mais de 2 anos... E logo teremos ainda mais movimento na sede nova...”, diz a mensagem do juiz.

O projeto Semear deve inaugurar até o final do ano sede com pelo menos 500m² de área e previsão de ampliação de 135 para 200 o número de crianças atendidas, além de expandir ações para as famílias.

A obra está em fase final e o financiamento do projeto mobilizou toda a comunidade, clubes de serviços, voluntários de diversas frentes e empresas.

A nova sede deve ser inaugurada até o final do ano. O asfalto ninguém sabe quando chega.


Últimas Notícias