Giro Marília -Doação histórica para Amor de Criança envolve centenas de voluntários da Dori

Um festa recheada de números grandiosos: centenas de voluntários, 160 mil fraldas, repasse de R$ 11 mil reais e o envolvimento da Doria, a maior indústria de gomas e snacks da América Latina, com a Unimar. E tudo isso em torno do projeto Amor de Criança.

A entrega de doações recolhidas pela mobilização de centenas de voluntários criou um dia de festa no ambulatório de atendimento do projeto, dentro da universidade que transformou o Amor de Criança em uma referência internacional de assistência a crianças com paralisa infantil.

Colaboradores e dirigentes do Projeto Amor de Criança e da Dori durante a entrega das fraldas

São 230 crianças atendidas, todas com entrada pelo SUS (Sistema Único de Saúde), a gritante maioria delas em situação de vulnerabilidade social. Por trás da doação está o trabalho de 2.200 trabalhadores de todos os setores da Dori em Marília e Paraná e as centenas de voluntários que eles mobilizaram na arrecadação. Só uma equipe em Marília envolveu 400 doadores.

A doação representa seis meses de atendimento a crianças que dependem de controle rigoroso de higiene para evitar infecções que muitas vezes podem se tornar fatais. E famílias com dificuldades para comprar o volume de fraldas usadas.

Foi o segundo ano consecutivo em que a Dori organizou a ação. Um projeto que começou a partir de gincana interna e a da busca de um programa de atendimento social a ser beneficiado.

 Regina Losasso Serva, vice-reitora da Unimar, com Pedro Lobo, diretor da Dori, o médico Francisco Agostinho e o reitor da Unimar, Márcio Mesquita Serva

O reitor da Unimar, Márcio Mesquita serva, lembrou que o projeto envolve diferentes cursos como medicina, enfermagem, fisioterapia, nutrição e um grande número de voluntários no atendimento permanente e nas colaborações.

“Isso é muito bom porque os alunos além do ensino eles saem com teoria e prática. É um trabalho maravilhoso, Marília abraçou e isso que é mais importante, que a comunidade participa, dando e recebendo amor.”



O médico pediatra Francisco Agostinho, idealizador e coordenador do Amor de Criança, disse que o envolvimento da Dori com o projeto emociona. “É uma empresa grandiosa, com coração na mesma proporção, que consegue olhar para as crianças atendidas aqui na Unimar.”



Para o médico, é um evento inédito, com um número extraordinário. “Deveria ir para o livro dos recordes e demonstra como a Dori tratou o problema, motivou seus funcionários, a quem a gente rende um agradecimento muito especial.”

Márcia Mesquita Serva Reis, superintendente da ABHU (Associação Beneficente Hospital Universitário) destacou que as crianças atendidas são todas encaminhadas pelo SUS, uma área em que a Unimar amplia atendimento também pela UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e unidades de saúde em Marília e outras cidades.


Francisco Agostinho, coordenador do projeto Amor de Criança, com a Superintendente da ABHU, Márcio Mesquita Serva Reis

“Esse é o DNA da Associação, atender as pessoas que mais precisam, a população carente. A gente teve muita dificuldade, por incrível que pareça, para fazer um trabalho cada vez mais amplo e o trabalho vence qualquer barreira e a gente está mostrando isso, estamos cada vez mais próximos da comunidade e a população reconhece isso, também colabora. Somos muito bem recebidos nos espaços em que vamos e já mostramos nossa história para a cidade.”

O Projeto Amor de Criança, escolhido já na primeira gincana, ganhou um carinho ainda mais especial depois que a Dori descobriu um caso de funcionário com criança atendida pelo programa. O envolvimento só cresceu.

Ilza Manchiero, Cris Locatelli e Izabel Cristina Pena, dos Recursos Humanos da Dori, durante a entrega das fraldas

“Foi um olhar para estas crianças, tentar oferecer melhor qualidade de vida e unir os 2200 colaboradores para mostrar que a gente pode oferecer futuro melhor e a gente trabalha para transformar vidas”, disse a gerente de recursos humanos da empresa, Izabel Cristina Paes Pena.

Ela conta que a ação em 2018 foi uma primeira ideia, os colaboradores gostaram, o clima na fábrica melhorou bastante e a fábrica de Rolândia, no Paraná foi envolvida.

O projeto é uma iniciativa do médico e da Unimar, com apoio e atuação do Ministério Público Federal, da Unesp e Prefeitura de Marília. Já conquistou prêmio nacional da Procuradoria da República.

Veja mais reações à atuação dos voluntários


“São pessoas humildes, que necessitam de tratamento e de carinho e o Dr Francisco, os alunos de medicina e diversos cursos vem trabalhando incansavelmente para oferecer um atendimento digno. E essa é a função da universidade da melhor maneira possível e nós atraímos grandes parceiros que fazem com que a coisa aconteça” - Márcio Mesquita Serva, reitor da Unimar

“Esse carinho e entusiasmo da comunidade, encabeçados hoje pela Dori,  nos deixa muito dedicados a fazer mais e mostrar a estas mães que elas não estão sozinhas. A gente vê que esse movimento é de entusiasmo continuo, a gente fica muito grato a toda equipe da Dori” – Márcia Mesquita Serva Reais, superintendente da Associação Beneficente Hospital Universitário.

“Em Marília no primeiro ano a gente teve uma ação voluntária, que não obriga o colaborador a participar. Participa quem tem vontade. No segundo ano as outras pessoas se sentiram sensibilizadas, a adesão foi muito maior” - Deise Araújo Gonçalves, analista na Dori de Marília

“Rolândia entrou pela primeira vez e foi muito gratificante participar. Foi uma superação mesmo, a gente não conhecia como era a gincana, como era participar e foi muito gratificante. Foi um ganho muito grande e a entrega foi muito bonita, a gente ficou muita emocionada” - Karina Elisa Farina, supervisora da Dori em Rolândia.

Confira na galeria de fotos mais imagens da entrega


Últimas Notícias