Giro Marília -Klínica da Alegria aplica ‘vacina do amor’ em Marília e reação emociona; assista

Um grupo de palhaços do grupo Klínica da Alegria foi à porta da Santa Casa de Marília neste domingo para uma ação aplicar a ‘vacina do amor’, nome dado às mensagens de esperança e alegria, e acabou surpreendido com um elogio muito especial

Uma das abordadas para as mensagens, Sabrina Fagnol, gravou um vídeo com um agradecimento pelo apoio do grup0o durante seu tratamento no hospital há dois anos.

“Há dois anos Vocês apareceram no meu quarto, eu estava internada quase morrendo, e vocês me deram um presente e eu uso esse remédio todos os dias. Está no meu quarto, meu deu muita força para continuar”, contou Sabrina.

A Klínica foi formada em 2006 para desenvolver na cidade o programa de palhaços de hospital, uma iniciativa que estimula pacientes – crianças e adultos – com músicas, brincadeiras, presentes, piadas e eventos especiais.



O trabalho nos hospitais ficou comprometido em função da epidemia de coronavírus. O grupo buscou alternativas com vídeos e mensagens em redes sociais. Mas neste domingo decidiu expandir e ir para a porta do hospital.

O resultado foram momentos de emoção e alegria na interação com público, funcionários e familiares de pacientes.

“A gente pensou de várias formas e uma delas foi fazer essa ação em frente à Santa Casa. A gente tem outras ações que está fazendo nas redes sociais, colocando vídeos e mensagens de esperança e alegria A gente sabe que existe a epidemia, mas procura forma de continuar com nosso trabalho”, explica Maércio Baraldi Donato, o Dr Palito.

Ele é um dos mais antigos participantes, já foi presidente e dirigente do grupo, que atua como uma associação formalizada. Explica que os pacientes recebem o que ele chama de “remedinho”, brinquedos ou outras lembranças para usar sem moderação durante todo o atendimento. Sabrina segue usando.

“A Klínica tem perto de 70 inscritos. Hoje viemos em dez pessoas e tivemos uma recepção muito boa do público, dos funcionários, pessoas em carros, motos, é muito marcante”, explica Luciana Lopes Cabrini, a Dra Pum Pum, uma das voluntárias.

O trabalho envolve treinamento e capacitação, mas a epidemia suspendeu provocou a suspensão de novos cursos para formação de novos voluntários. Mas os interessados podem buscar detalhes na página da Klinica da Alegria no Facebook ou no site oficial do grupo. Veja abaixo o vídeo com o depoimento de Sabrina.
 


Últimas Notícias