Uma vistoria de ambientalistas da ONG Origem, tradicional associação ambientalista de Marília, levou ao Ministério Público pedido de investigação sobre riscos para duas cachoeiras  da zona leste de Marília com sinais de assoreamento, direcionamento de terra e ameaças de poluição.

O caso foi identificado durante trabalho de vistoria e limpeza no Córrego Água do Norte e segundo o relatório da ONG um dispositivo para dissipar água da chuva foi implantado a poucos metros das cachoeiras Pedra Vermelha e 1º de Maio. As obras podem ser causa para formação de bancos de terra.

Além da ameaça de poluição, a Origem aponta risco de assoreamento com terra e areia arrastadas para as cachoeiras. Imagens produzidas pela ONG já mostram bancos de terra vermelha formadas ao lado dos dois espaços.


“Ambas são muito importantes quanto ao turismo, lazer e educação ambiental, inclusive são contribuintes da Represa Água do Norte”, diz o relatório da ONG.

Os dados são resultados de 12 dias de trabalho na região, entre 17 e 29 de novembro e o relatório foi disponibilizado na internet na quinta-feira.

As informações estão em um histórico do Projeto Cachoeiras, criado pela ONG em 2013 para conhecer, limpar, identificar ameaças e mapear pontos de cachoeiras a serem protegidas em programas ambientais, de lazer, esportes e turismo.

A vistoria no Córrego Água do Norte foi a 60ª ação da Origem dentro do projeto, que tem apoio de grupos de rapel, escalada e expedições de Marília e cidades próximas.

Acesse a íntegra do relatório sobre as 60 ações da Origem nas cachoeiras.


Últimas Notícias