Giro Marília -Renúncia coletiva de conselheiros agrava crise do MAC

Um grupo de 12 conselheiros do MAC (Marília Atlético Clube), incluindo o presidente do Conselho, Ildemar Sampaio, renunciaram aos cargos por discordâncias sobre a atuação da diretoria e em especial do presidente do clube, Antonio Carlos Sojinha.

Além dos 12 que deixaram o clube, o vice-presidente do Conselho, Archibaldo Eustáquio Brito, o “Bado”, renunciou ao cargo mas continua como conselheiro.

Os conselheiros não divulgaram detalhes sobre os motivos para a saída, mas um dos renunciantes disse ao Giro Marília que não houve uma medida específica que tivesse provocado a decisão, mas um conjunto de decisões em que o órgão não foi consultado.

As decisões polêmicas envolveriam um balanço de contas e informações sobre transferência de jogadores. As reuniões entre a diretoria e conselho envolveram momentos tensos, com discussões.

Sojinha foi procurado pelo Giro na manhã desta terça mas disse que estava ocupado e só poderia falar ao final da tarde.

A decisão vai deixar o conselho desfalcado pelo menos até o dia 9 de julho, quando está marcada a próxima reunião entre a diretoria executiva do clube e os conselheiros.

A medida acontece em mais uma das complicadas fases da história do time e mostra fora do campo o péssimo momento que o Marília já enfrentou dentro dos gramados depois de uma péssima campanha na série A-3 com rebaixamento para a quarta divisão do campeonato paulista.

Além de perder interesse público, a situação do clube afasta patrocinadores para um time enterrado em dívidas. Já no final da temporada deste ano o Conselho atuou para ajudar a bancar custos como viagens.


Deixaram o clube os conselheiros Ildemar Encide Sampaio, Carlos Delabio Campoi, José Eduardo Vicente Jorente, Marco Antônio Mariano, Roberto Acácio Oliveiros, Rodrigo Cirino Laerte, Valmir José de Souza, Valter Luiz Cavina, Waldecy Euflausino, Zenon, Eduardo Cardoso de Matos, Eduardo de Moraes Almeida, Marco André Flait Sanches, Marcos Nicola