Giro Marília -Biden anuncia apoio dos EUA a quebra de patentes de vacinas contra Covid-19

source
O objetivo é facilitar a transferência de tecnologia e possibilitar a produção das vacinas principalmente em nações em desenvolvimento
Foto: Futura Press
O objetivo é facilitar a transferência de tecnologia e possibilitar a produção das vacinas principalmente em nações em desenvolvimento

O presidente norte-americano Joe Biden anunciou apoio a uma proposta que quebra de patentes de vacinas contra a Covid-19, uma ideia de países como Índia e África do Sul na Organização Mundial do Comércio (OMC). O objetivo é facilitar a transferência de tecnologia e possibilitar a produção das vacinas principalmente em nações em desenvolvimento. A informação foi divulgada pela embaixadora americana para a Organização Mundial do Comércio, Katherine Tai, nesta quarta-feira (5).

"Essa é uma crise de saúde global e as circunstâncias extraordinárias da pandemia de covid-19 exigem medidas extraordinárias. O governo acredita fortemente nas proteções de propriedade intelectual, mas em trabalho para acabar com essa pandemia apoia a suspensão dessas proteções para as vacinas contra covid-19", disse a representante em comunicado.

Katherine Tai disse ainda que o país vai participar das negociações na OMC para permitir que isso aconteça. "Essas negociações levarão tempo considerando a natureza da instituição de busca por consenso e a complexidade das questões envolvidas", afirmou.


O anúncio do apoio aos países emergentes já é considerada uma mudança histórica na postura do governo americano, sede das principais farmacêuticas, em relação à propriedade intelectual. Na prática, caso a quebra de patentes seja aprovada, isso permite que a vacina da Covid-19 seja produzida por empresas de todo o mundo. O Brasil não apoiou a proposta da Índia e da África do Sul.


O objetivo é que com o apoio norte-americano, a as negociações possam andar mais rapidamente. Hoje, mais de 60 países emergentes insistem que apenas com a quebra de patentes é que uma maior produção de vacinas pode ser garantida.

Fonte: IG SAÚDE

Últimas Notícias