Giro Marília -Ministério Público investiga humoristas acusados de discriminação a autistas

A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos vai apurar eventual discriminação contra pessoas com deficiência praticada pelos humoristas Abner Henrique e Dihh Lopes.

Em vídeo que circula na internet, gravado durante uma apresentação, os comediantes aparecem fazendo diversas piadas pejorativas em relação às pessoas com deficiência, violando as suas dignidades.

Ao dar início o procedimento, o promotor de Justiça Wilson Tafner considerou que a repercussão do caso na imprensa tem causado comoção e repúdio. Foi dado prazo de 15 dias para que Lopes e Henrique prestem esclarecimentos, se desejarem.

O vídeo com as piadas, postado em novembro do ano passado, já foi retirado do Youtube. Após a onda de repercussão negativa, O vídeo mostra trecho de uma apresentação feita em agosto de 2019, na cidade de Campo Grande (MS).

A dupla faz piadas sobre uma banda de rock formada por músicos autistas em Brasília.

A circulação do vídeo já havia provocado uma ordem do Ministério da Justiça e Segurança Pública para que a Polícia Federal investigue a atuação da dupla.

Os humoristas divulgaram nota em que negam ter abusado do direito de manifestação. Dizem que a dupla não teve a intenção de transmitir conhecimento científico, realista e preciso sobre os assuntos ou discriminar a comunidade autista.

"A arte pode ser controversa e nunca vai agradar a todos. Entendemos que em momento nenhum ultrapassamos o limite da comédia, que é a nossa arte. Pelo contrário, estávamos ali para entreter o público pagante que, certamente, nos acompanha no show por gostar do nosso tipo de comédia", finaliza a explicação de Dihh Lopes e Abner Henrique.


Últimas Notícias