Giro Marília -Comoção internacional - Morte de Maradona provoca luto oficial na Argentina

O governo da Argentina declarou luto oficial de três dias pela morte de Diago Armando Maradona, ocorrida nesta quarta-feira, vítima de uma parada cardíaca. "Estou desolado", disse o presidente Alberto Fernandez

Maior ídolo do futebol na Argentina e um dos grandes nomes do esporte no mundo, Maradona, 60 anos, estava em sua casa quando passou mal. Faleceu por volta de meio-dia, após tentativas médicas de reanimação.

Estava se recuperando de uma delicada cirurgia no cérebro que havia sido realizada no começo deste mês. Completou 60 anos em 30 de outubro.

A cirurgia foi realizada para drenar uma pequena hemorragia no cérebro de Maradona e o ex-jogador recebeu alta oito dias após o procedimento.

Apesar de ser considerada uma cirurgia simples, o médico Leopoldo Luque, que realizou o procedimento, alertou na ocasião que havia preocupação pela condição de saúde de Maradona.



HISTÓRIA

Diego Maradona começou a jogar ainda na criança na equipe do Argentino Júniors. Aos 17 anos teve sua primeira convocação para a seleção argentina, mas foi cortado da Copa do Mundo de 1978, que o país venceu jogando em casa.

Transferido ao Boca Juniors, iniciou a carreira meteórica que o transformaria em ídolo na Argentina, na Europa – onde jogou pelo Barcelona e Napoli – e em todo mundo por seu desempenho em competições por seu país.

Comandou a seleção argentina na conquista do mundial de 1986. Disputou ainda as copas de 90 e 94, quando deixou a competição por acusação de doping.

Aposentou-se antes da Copa de 98. Foi comentarista e depois técnico da seleção Argentina, sem o mesmo brilho que mostrou dentro do campo.

Colecionou polêmicas na vida pessoal vinculadas ao uso de drogas, que o levou para um tratamento em Cuba em 2000. Enfrentaria ainda risco de morte em um acidente de trânsito e anos depois por problemas cardíacos em 2004.

Maradona foi casado durante vários anos com Cláudia Villafañe, de quem se divorciou de forma litigiosa e com quem teve duas filhas -  Dalma e Gianinna.  Teve dois filhos fruto de casos extra-conjugais e Dieguito Fernando nascido em 2013 filho de Verónica Ojeda.


Últimas Notícias